Carrefour faz campanha com ideologia de gênero e é criticado nas redes

Após Omo, rede também erra a mão em “marketing de lacração”

Nesta semana é comemorado o dia das crianças e todas as grandes empresas e marcas do país abordaram o tema em suas campanhas de publicidade.

Contudo, o supermercado Carrefour errou a mão ao apostar no chamado “marketing de lacração”. Em postagens nas redes sociais, divulgou a seguinte mensagem: “Depois que viram adultos, meninos que brincam de boneca ou casinha tornam-se mais conscientes e responsáveis com a família. Brincadeiras não têm gênero”.

De modo semelhante ao que ocorreu com o sabão em pó OMO, que foi massacrado na web ao tentar defender ideologia de gênero para crianças, o Carrefour despertou a ira dos brasileiros conservadores.

Entre as centenas de comentários, os dois mais curtidos foram do líder conservador Benedito Gomes Barbosa Jr. Ele escreveu:  “Aguardando vocês apoiarem meninas brincando com armas para se tornarem adultas que saberão se defender…” e logo em seguida acrescentou “Pronto! Até mercado querendo dar pitaco na criação dos meus filhos! Vão se lascar!”

A página de avaliação da empresa no Facebook recebeu uma enxurrada de protestos. Centenas de pessoas deram uma estrela, a pontuação mais baixa possível.

Grande parte dessas pessoas copiaram na parte de comentários o Decálogo de Lênin, conjunto de estratégias para que um país se torne comunista. A primeira delas diz: “Corrompa a juventude e dê-lhe liberdade sexual”.

Após as críticas começarem a se multiplicar na página oficial do Carrefour, a postagem foi apagada.

Via: Gospel Prime