Evangélica, atriz Cláudia Rodrigues é internada após crise emocional

“Ainda não sabemos ao certo o que houve. A princípio, ela teve uma crise ou um surto, fez as ressonâncias, exames de sangue, potencial evocado da visão, audição e sensor motor e vai fazer vários outros exames”

A atriz Claudia Rodrigues foi internada na manhã desta segunda-feira (29) no hospital Albert Einstein, em São Paulo, após sofrer uma crise emocional. Ela está internada em uma clínica no interior de SP desde fevereiro tratando as sequelas da esclerose múltipla. Ela deu entrada com desmaios, visão dupla e confusão mental.

“Ainda não sabemos ao certo o que houve. A princípio, ela teve uma crise ou um surto, fez as ressonâncias, exames de sangue, potencial evocado da visão, audição e sensor motor e vai fazer vários outros exames”, contou a empresária dela Adriane Bonato ao UOL.

A atriz estaria desgastada psicologicamente por conta de problemas pessoais.

“Ela estava abalada emocionalmente por conta do meu estado de saúde e agravou com o desgaste emocional que teve durante uma negociação em São Paulo. Não sabemos se ficou com alguma sequela, está passando por uma bateria de exames”, completou Adriane, que passou por uma cirurgia para retirar o útero e uma parte do fígado recentemente.

Claudia Rodrigues passou por um transplante de células-tronco em 2015 para tratar a esclerose múltipla e desde então tem feito tratamentos para melhorar as sequelas da doença.

Cláudia e a fé
Em 2016, após um transplante de sucesso, Cláudia mostrou sua fé: “Em nenhum momento eu tive medo de morrer. Entreguei nas mãos de Deus e disse: ‘Se quiser me levar, seja sem dor’”, disse ela, que por consequência do tratamento chegou a ter problemas na fala, na memória e nos movimentos. “Isso passou. Estou ótima de verdade. Nasci de novo, e tenho certeza de que estou curada, mas ainda não posso bater o martelo. Preciso esperar seis meses para fazer novos exames e poder afirmar que tudo deu certo”.

O carinho da filha, garante a atriz, foi fundamental para a recuperação de Claudia.

“Acho que esse transplante me fará melhor do que eu era. Fiquei mais religiosa, mais calma e dou mais atenção aos outros. Iza (a filha) também me ajudou a enfrentar tudo. Às vezes, estou chorando, e ela me conforta. Tive um baque ao descobrir a doença, mas naquela hora só quis saber se podia ser mãe. Foi uma felicidade realizar o sonho da maternidade”.

(UOL e Extra) - Via: Portal do Trono