Nívea Soares concede entrevista exculsiva para Web Evangelista! Fala sobre ministério, família, musica secular, saída do Diante do Trono. Confira!

Fala sobre ministério, família, musica secular, saída do Diante do Trono.

1 - Explique para nossos leitores, sobre o que você sente quando adora ao Senhor.

É complicado explicar algo tão subjetivo como o sentimento. Parece que você está com um amigo muito próximo, que você não vê, mas sabe que está ali pertinho de você e sua presença é maravilhosa, reconfortante.

2 - Para você qual a diferença entre carreira e ministério?

Uma carreira tem por base o talento e as oportunidades de se mostrar um trabalho.  Ministério é serviço. E todo cristão verdadeiro é chamado para servir. Hoje se tem uma visão distorcida que confunde ministério com glamour, títulos e riquezas. Mas, quando observamos a palavra de Deus vemos em Jesus, o "servo sofredor" (Isaías 53), o modelo de ministério. Seguir a Jesus e servi-lo, cumprir Seu chamado para nós, implicará sempre em renunciarmos a nós mesmos. Ministério é um chamado para dar continuidade ao ministério de Jesus.

3 - Você acha que um músico cristão pode seguir uma carreira secular voltada pra música?

Músicos cristãos profissionais no Brasil vivem esse grande conflito. Não se pode generalizar. Conheço músicos cristãos que tocam no meio secular e mantêm os testemunhos de vida exemplares, e que por isso têm levado muitos a Jesus. Já outros se perdem e acabam sendo influenciados pelo ambiente. Esfriam-se espiritualmente e envolvem- se com a permissividade do meio. Tudo é uma questão da motivação e do chamado. Creio também que faltam pastores para esses músicos. Gente para compartilhar a vida de Deus e levar as cargas. 

4 - E os cristãos que tem ministérios relativos ao louvor, você acha que é lícito cobrar cachê para um evento de adoração?

Lícito é ser coerente com a visão e com os princípios que você tem. As prefeituras no Brasil promovem eventos com cantores e grupos de diversos segmentos. A música de conteúdo cristão está entre eles. O "Cachê" está relacionado com as prefeituras que pagam para os artistas se apresentarem. É óbvio que os artistas cobram das prefeituras. Até mesmo porque as prefeituras não entendem a palavra "oferta", pelo fato de não serem instituições religiosas.

O que cada um dos artistas da música, pastores ou pregadores fazem em outros contextos como igrejas, congressos e eventos relacionados às igrejas locais vai variar de acordo com o propósito, a necessidade, a visão e a consciência de cada um. Quanto maior a estrutura por trás do artista, maior a necessidade de dinheiro. Aquilo que os artistas cristãos fazem com esse dinheiro fica a critério da consciência de cada um. Temor de Deus, bom senso e coerência são fatores determinantes nessa hora. É importante lembrar que qualquer espécie de mercado só existe porque as pessoas o alimentam. Podemos dizer que em todos os lugares da sociedade existem alguns que foram corrompidos, mas, também existem os que mantêm o seu coração puro.

5 - Sabemos que existem custos para produção de um evento, mas sabemos que algumas pessoas cobram altos cachês para se "apresentarem", você acha que uma oferta em prol daquele ministro não seria suficiente?

O leque de situações é grande e não dá para colocar todo mundo num mesmo pacote. Como já disse tudo depende do critério e da necessidade de cada um. Por trás de alguns cantores ou ministérios existem famílias inteiras e as necessidades básicas que são licitamente sustentadas. Tenho amigos de outros ministérios que após voltarem de algumas programações em igrejas não receberam nenhuma oferta. Por isso não tinham como honrar seus músicos, o seu aluguel e nem como comprar comida. Isso aconteceu diversas vezes, durante anos e até hoje. Alguns até optam por ter uma profissão paralela para não dependerem de ofertas que nem sempre são dadas. Enriquecer definitivamente não é necessário, mas, dignidade é direito do ser humano. Outros cantores ou pastores  têm gulosas estruturas humanas que demandam muito dinheiro todo mês. Se denominamos "oferta" ou "cachê" depende da consciência e critério de cada um. Se as pessoas conseguem verdadeiramente viver em paz e em comunhão com Deus fazendo o que fazem então está tudo bem. Quem ganha pouco pode ser mais avarento do que quem ganha muito. Tudo depende do lugar que o dinheiro ocupa em nossas vidas e do tipo de uso que fazemos dele. Acumular bens nesta terra é um laço.

Se alguns cantores, ministérios ou pastores cobram altos cachês é porque com certeza existem pessoas que estão dispostas a pagá-los. Precisamos de pastores segundo o coração de Deus para orientar os músicos cristãos. Gente que os veja como gente e não como um produto a ser usado ou idolatrado. Gente que traga ensino e que traga exemplo uma vida verdadeiramente piedosa.

6 - Você crê que a frase de Jesus: De Graça Recebeste, de Graça Dai. Pode ser usada nos dias de hoje?

Claro! Se eu não cresse não seria cristã. Compartilhar do evangelho, das boas novas de Deus por Jesus, compartilhar da vida de Deus é o prazer de todo cristão genuíno. E isso não depende dos tão visados microfones, plataformas e holofotes. Isso é algo que deve fluir de nós todos os dias para com aqueles que são os nossos próximos, aqueles que passam por nós, aqueles que precisam de um abraço, de uma ajuda.  Se não estamos dispostos a isso não devemos nos chamar cristãos. Creio que os que foram alcançados pela graça de Jesus querem transmitir esta mesma graça. Quem sabe o quanto foi perdoado e amado sente a mesma necessidade de perdoar, amar e servir. Sabe que será medido com a mesma medida que medir os outros.

7 - Como você lida com as repercussões do seu ministério?

Meu desafio é sempre manter o coração em Deus. Fama passa. A moda é sempre um ciclo. O que é moda hoje, amanhã perde popularidade. Por isso minha preocupação não pode ser a de "ficar no topo da onda". É melhor permanecer constante em Deus, na Sua unção e naquilo que Ele me direciona a fazer. Entendo perfeitamente meu papel como facilitadora para que mais e mais pessoas se acheguem a Jesus, O cabeça da igreja, e recebam da unção que está sobre Ele.  Em se tratando de opiniões de pessoas, sei que tanto alguns elogios quanto algumas críticas são feitos por pessoas que não me conhecem. Só conhecem a minha imagem. Não posso, portanto, absorvê-los como sendo verdade. Tenho pessoas chegadas com quem me relaciono e que têm a liberdade de me corrigir quando necessário.

8 - Você compõe suas próprias músicas?

Sim. A maioria delas.

9 - Já foi confrontada em algum momento por isso?

Pelo quê? Por compôr minhas canções? Não que eu saiba.

10 - Como você descreveria seu ministério?

Sou alguém que procura seguir a Jesus e levar outros a segui-lo também.

11 - Você tem vínculos com o Ministério Diante do Trono?

Sim. Somos da mesma igreja e tenho por eles muito carinho!

12 - Existe algum ressentimento pela sua saída?

Não. O que acontece é que algumas pessoas gostam de fofocas e controvérsias. Isso parece alimentá-las por algum motivo. Minha saída e a do meu esposo Gustavo aconteceu há uns 07 anos. Foi no tempo certo e do jeito certo. Tínhamos uma agenda própria e minha liderança reconheceu que existia um chamado específico de Deus para nós. Eu estava fluindo na palavra de Deus e por isso sentia necessidade de ministrar. A pastora Ezenete  e a Ana Paula tomaram a iniciativa de reconhecer que era tempo de deixarmos o grupo e de nos dedicarmos a esse novo tempo.  Elas oraram por nós, nos liberando.

13 - Você acha que a projeção que alcançou dentro deste ministério, influenciou a forma de como é aceita no meio evangélico?

Sim, o DT fez parte do início de tudo. Foi uma escola maravilhosa que Deus proveu para me preparar para o propósito que Ele tem em mim. Sou muito grata a eles por me ajudarem a crescer em comunhão com Deus e por reconhecerem as temporadas do Senhor em minha vida. Até hoje as pessoas me ligam muito ao DT. Alguns ainda acham que sou do grupo pelo fato de andarmos juntos às vezes. As pessoas têm muito carinho por eles e recebo um pouco desse carinho também.

14 - Como você lida com os fãs do seu trabalho?

São pessoas preciosas que valem muito mais do que um trabalho. É muito bom receber emails com testemunhos de pessoas que receberam a Jesus, que foram batizadas com o Espírito Santo, que foram curadas por Jesus, enquanto ouviam as canções ou as mensagens ministradas. Toda glória ao nosso maravilhoso Senhor Jesus! Apesar de eu ser tão pequena e falha as pessoas têm recebido de Deus. Algumas dessas pessoas se confundem um pouco, acham que os cantores são alguma espécie de divindade. Mas é só mostrar Jesus pra elas e logo se apaixonam por Ele! Como cristãos não podemos colocar pessoas num patamar maior do que precisam estar, deixo isso bem claro.

15 - Qual seu ritmo musical predileto?

Pop rock.

16 - Em seu novo trabalho, o que poderemos esperar dele?

Pretendemos, se Jesus permitir, gravar um DVD no dia 12 de novembro de 2011, em Belo Horizonte, na Igreja Batista Central, situada na Rua Luiz Soares da Rocha, nº 37, Bairro: Luxembrugo – Belo Horizonte/MG. Possivelmente serão algumas canções do CD Emanuel e outras novas canções. O CD ainda não tem um título definido. O que espero de fato é que possamos registrar aquilo que o homem não pode manipular e nem impedir, que é o mover do Espírito Santo e o renovo que Ele tem para derramar sobre aqueles que têm sede por mais de Deus. Queremos mais de Deus!

17 - Você acha que por ser uma personalidade no meio evangélico, algumas pessoas tentam invadir sua privacidade?

Às vezes. Isso se agravou muito depois das redes sociais. Algumas pessoas parecem valorizar mais o virtual do que o real. Na verdade parecem querer fugir da realidade. Por causa disso idealizam personalidades. Criam amizades baseadas em popularidade e acabam misturando as coisas. Assim não pensam nos seus próprios problemas e transformam outras pessoas em verdadeiros "gurus" evangélicos. Ao estabelecermos limites para algumas dessas pessoas, ganhamos o seu respeito e algumas até se tornam amigas mesmo.

18 - Qual as bandas ou cantores que influenciaram em seu ministério? 

Na adolescência fui muito influenciada pela música black e também pela música rock. Do meio cristão eu costumava ouvir BB and CC Winans e outros cantores de soul. Também amava o Petra, Deus falava muito comigo através de suas canções. Naquela época eu também ouvia música secular. Até que num determinado momento, Deus pediu para eu me desfazer de CDs seculares e consagrar minha voz somente a Ele.

19 - Você houve música secular? Qual sua opinião sobre evangélicos ouvirem?  

Não curto a música secular espontaneamente. Não compro CDs de canções seculares. Ouço do vizinho, do carro que passa na rua, do filme que vejo. Mas  particularmente não gosto de ouvir. Esse é um posicionamento meu. Sou líder de louvor e quando ouço música quero  de alguma forma ser edificada no meu espírito. Não penso que a música secular tenha isso pra me oferecer. Ouvia muito na adolescência e tive uma experiência muito particular com Deus em relação a isso, por isso realmente parei de ouvir. Minha opinião é que cada um tem que andar de acordo com o que já alcançou de Deus. A Bíblia nos orienta em Filipenses 4:8 "Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai". Que dentro disso a gente caminhe livre! O que a gente faz ou deixa de fazer tem que ser por amar a Jesus e não por regrinhas humanas.

21 - Conte uma experiência que lhe impactou durante suas ministrações.

São várias experiências nesses muitos anos. Marcou-me na semana passada ver pessoas vindo em lágrimas receber a Jesus num culto de Rua em Sorriso/MT. Depois de ouvirem sobre Jesus! Marcou-me ver pessoas sendo renovadas pelo Espírito Santo e se rendendo a Ele nesse mesmo fim de semana em MT. Soube recentemente que uma bebezinha que estava intubada há meses numa UTI, em Imperatriz do Maranhão, começou a respirar espontaneamente alguns dias depois de impormos as mãos e oramos por  ela. Mas o que tem me marcado mais nesses dias é ver os meus vizinhos incrédulos pedindo para ouvir do evangelho e recebendo a Jesus! Ele continua o mesmo! Ele é santo, maravilhoso e tem todo o poder! Só Ele é capaz de transformar o coração do ser humano, mudar circunstâncias ruins ou nos fazer passar por elas sem medo.

22 - Quais os planos profissionais para os próximos meses?

Eu e o meu marido Gustavo Soares (ele é produtor musical) temos trabalhado em vários CDs de amigos. Entre eles o DVD do Judson Oliveira que deve ser lançado nesse semestre. E teremos a gravação do nosso DVD ao vivo, se Deus quiser, no dia 12 de novembro de 2011, na Igreja Batista Central de Belo Horizonte.

23 - Qual sua mensagem hoje para os novos adoradores?

Não deixe que a música tome o lugar de Deus na sua vida. Não permita que suas necessidades financeiras se coloquem entre você e o Senhor. Busque-O em primeiro lugar. Faça tudo com excelência para honrar o nome do Senhor. Seja humilde para com Ele e para com o próximo. A essência da adoração é Jesus. Cabe a nós, como ministros, apresentar o evangelho de forma clara. Não adianta uma bela canção sem que o objetivo de pregar a palavra e falar do autor e consumador da nossa fé seja cumprido.

24 - Tem a expectativa de ter um filho por agora? 

Sim.

25 - Com a agenda cheia, como conciliar família e ministério?

Na maioria das vezes viajamos apenas nos finais de semana, deixando pelo menos um fim de semana livre para estarmos em casa e na nossa igreja. O Gustavo, meu marido, sempre viaja comigo. Durante a semana sempre é possível conseguir um tempo para estar com a família e os amigos.

26 - Qual seria o conselho que você daria para os evangélicos de todo o Brasil?

“Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno os seus pensamentos, e se converta ao SENHOR, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar. Isaías 55:6 e 7.

Por Wagner Lemos

 

Agradecemos a Nívea Soares pela atenção e presteza.