PASTOR ACUSADO DE ESTUPRO REAFIRMA INOCÊNCIA e anuncia viagens para fazer “milagres”

Ele ainda contou que voltou para Igreja Assembleia de Deus e agradeceu o carinho que recebeu

Há 49 dias em liberdade - após ter sido acusado de estuprar uma adolescente de 11 anos -, o pastor Paulo Roberto Alves anunciou em sua rede social que voltou para a Igreja Assembleia de Deus e que irá viajar para "fazer milagres".

 A mensagem foi feita por meio de um vídeo publicado em sua página pessoal no Facebook, na noite desta quarta-feira (29).

 No vídeo, o pastor relata que estava preocupado com a repercussão de sua prisão e não esperava tanto carinho em sua volta à Assembleia de Deus, cujos integrantes ele chegou a acusar de serem responsáveis por sua prisão. Na época o pastor chegou a falar em perseguição.

 “Sou assembleiano novamente. Se preparem porque vocês nunca viram tantos milagres igual vocês vão ver nas minhas viagens para a glória no nome de Jesus”, disse.

 “Ontem, eu voltando para o templo sede, ‘igreja mãe’, eu não sabia que o carinho da igreja ia ser tão grande. Muita gente chorando e me abraçando".

 Paulo ainda afirmou que sua inocência foi provada. “Essa última luta que passei vocês viram, foi provada a inocência, todos os exames deram negativo”, contou.

No vídeo, o pastor ainda relata que está com toda documentação para dar entrada no divórcio com sua esposa, que havia anunciado publicamente enquanto ele estava preso, que ia se separar.

“E informando que agora eu posso anunciar o divórcio, que senhora Yasmin anunciou quando eu estava preso. Agora eu tenho o prazer de anunciar que vou dar entrada no divórcio. Eu saí tem dois meses e a senhora Yasmin nunca me procurou”.

No final, ele agradeceu as pessoas que apoiaram e o parabenizaram por ter "tomado a decisão correta" [voltar para a Assembleia de Deus].

"Eu sempre apareço nas redes sociais para falar de coisas benéficas, mas eu quero justificar que é impossível, eu não tenho como responder 39 países e o Brasil me parabenizando. Eu estou fazendo esse vídeo caseiro pra dizer duas coisas: esse silêncio ficou até agora, mas agora eu quero agradecer vocês pelo carinho. Não tem como eu responder as mensagens. É muita gente, são centenas de mensagens chegando, por isso estou agradecendo”, disse

Entenda o caso

De acordo com o boletim de ocorrência, o pastor foi visto por uma viatura da PM deixando duas garotas - de 11 e 16 anos - próximo a um matagal, na Avenida das Torres, na Capital, no dia 12 de abril.

Desconfiados, os policiais passaram a fazer o acompanhamento do carro em que o suspeito estava. Porém, ao perceber a viatura, ele fugiu em alta velocidade.

Com isso, os PMs foram até o ponto de ônibus onde as meninas foram deixadas e encontraram as duas ainda no local.

Eles questionaram as garotas, que contaram uma história e, em seguida, os policiais decidiram acompanhar as duas até o bairro onde moram.

Os pais das meninas não estavam em casa. Depois de muito insistir, as duas acabaram confessando que conheciam o suspeito há alguns dias e que, na quarta-feira (12), teriam saído para manter relações sexuais com ele, em troca de dinheiro.

A adolescente de 16 anos contou que o pastor teria ligado enquanto ela ainda estava na escola, pedindo para encontrá-la, e insistido para que levasse sua sobrinha - de 11 anos -, pois pagaria às duas a quantia de R$ 200 

A menina ainda relatou que o pastor ligou novamente assim que as deixou no ponto de ônibus, pedindo para que não contassem à polícia sobre o encontro, e que pagaria mais R$ 200 pelo silêncio de ambas.

O pastor foi preso em sua casa e encaminhado para a Central de Flagrantes de Cuiabá, onde as meninas o reconheceram como autor do crime.

No mesmo dia, ele passou por uma audiência de custódia no Fórum da Capital e teve a prisão em flagrante convertida para preventiva.

Via:  Midia News

Veja o vídeo: