Universal inaugura igreja flutuante que vai percorrer comunidades do Amazonas

Barco batizado de "Glorioso" possui dois andares e fornece espaço para sediar rodas de conversa, reuniões e shows

Com capacidade para 113 passageiros, a igreja flutuante da Universal começou a navegar pelos rios da região amazônica com objetivo de realizar trabalho de evangelização em comunidades ribeirinhas. Na tarde de ontem, os moradores da vila de Nossa Senhora de Fátima, no Bairro Tarumã, zona rural de Manaus foram os primeiros a receber a visita da embarcação, batizada de “Glorioso”.

Segundo o bispo da Universal Claudinei Mantovani, propagar os ensinamentos da igreja para essa parte da população do Estado é uma oportunidade não só de informar os ribeirinhos sobre a existência da  igreja, mas de mostrar que isso tudo está além da religião.  “Uma palavra amiga acalenta corações. O perdão do irmão vai ser ouvido nos céus.  É preciso que esses ribeirinhos saibam que todos são perdoados quando se arrependerem de seus pecados”, disse.

O bispo também informou que serão realizados, todos os dias, duas reuniões diárias, uma pela manhã e outra à tarde. Os horários variam de acordo com a comunidade visitada. A primeira parada foi na vila Nossa Senhora de Fátima. O barco saiu da Marina Tauá, na Ponta Negra, Zona Oeste.

“O projeto é itinerante. A tripulação, juntamente com os voluntários, uma média de 10 pessoas, realiza visita em comunidades diferentes durante a semana. Nos locais em  que o tempo de viagem é maior que um dia, a equipe de logística é acionada para esquematizar o percurso”, explicou.

A embarcação possui dois andares e fornece espaço para sediar rodas de conversa, reuniões, palestras e até shows no saguão principal. A infraestrutura também conta com camarotes para o apoio técnico e administrativo, além de dois barcos de apoio, que auxiliam a igreja flutuante a chegar aos destinos.

Durante a inauguração, estiveram presentes vários representantes da igreja universal e de outras entidades religiosas da igreja protestante. A visita durou cerca de três horas e houve reunião para cerca de 100 fiéis dentro da igreja flutuante. Para o bispo Mantovani, essa é uma oportunidade para que as comunidades também se integrem com a igreja.

“A busca pela paz interior só é bem sucedida se o cidadão estiver bem com tudo à sua volta. Por isso que a nossa igreja quer propagar o amor e todas as coisas boas que o Senhor fez para as pessoas e que ele seja exemplo para o resto do povo, que já sofre tanto com as dificuldades do dia-a-dia”, informou.

‘Legião’ de voluntários participa dos preparativos da ação

Mais de 80 voluntários devem participar do que a igreja está chamando de caravana da fé pelos rios da amazônia. Entre as ajudantes dos pastores e bispos está a dona de casa Ivana lúcia, 50. Ela explicou que parte dos voluntários estava na comunidade desde quinta-feira, realizando os preparativos para a chegada da igreja flutuante.

“Ontem nós deixamos tudo pronto para voltar nesta sexta e organizar essas reuniões”.
Foi a primeira vez que Ivana participou de atividades com a comunidade ribeirinha. “É muito gratificante sair de Manaus e atravessar o rio Negro para poder espalhar a palavra”, afirma.

Já para o voluntário Neto Júnior, 34, a interação com os indígenas foi que o mais chamou atenção. “Muitas pessoas que moram nessas comunidades tem relação direta ou são índios, que apesar de já viverem na modernidade, ainda vivem isolados da palavra. Essa é a nossa missão, levar o amor de Cristo para todos”, diz.

Via: A critica